• ads

Depoimento do diretor de fotografia Toshio Shirai — Jump Gold Selection 2

By admin
In Estafe & Elenco — Entrevistas e Depoimentos
set 12th, 2013
0 Comments
64 Views

“Uma série de TV com qualidade comparável à das produções para o cinema.”

   Apesar de fazer as mesmas fotos, Seiya é uma produção que demanda paciência, entende? Quando a transmissão óptica (efeito especial para a expressão da luz) é alta, uma só sequência chega a comportar 3 ou até 4 modalidades do recurso. Então, fazemos um trabalho bem complexo. Afinal, na direção de episódios da série, ninguém se satisfaz com efeitos ópticos que meramente brilham… (Risos.)

   De fato, há ocasiões em que temos 1 ou 2 sequências por dia. Não se fazem tantas assim numa série de TV convencional, não é mesmo? (Risos.)

   Não existe uma diferença substancial entre as coisas que estou fazendo em Seiya e o que se faz numa produção para o cinema, sabe? Ainda por cima, as dificuldades também variam de acordo com os personagens que fotografamos… Creio que o mais complicado de todos seja o Hyoga. Pois tem neve e cristais de gelo flutuando, a armadura cintilando e efeitos de difusão óptica em cada um dos quadros, não é mesmo? Ele e o Shiryu… Como eram particularmente trabalhosos, esses dois eram odiados… (Risos.) Apesar de ser o contrário na votação dos fãs comuns, não é verdade? (Risos.)

   Por outro lado, o Seiya é o mais fácil. Mas, nesse filme recente (do verão), houve umas sequências do Meteoro de Pégaso, não é? Mesmo enquanto fotografava, eu gostei bastante dos efeitos e tudo mais… Além disso, também há o fato de a qualidade da fotografia ficar tão boa quanto os belos desenhos, não é verdade? Não admira que, também no que se refere à forma de tirar fotos, meu objetivo é fotografá-las de forma tão bela quanto os desenhos.

   Quando os desenhos do senhor Araki (Shingo) chegam, além de ser arrebatado pelas imagens em si, o processo fotográfico flui melhor, não é? (Risos.)

   Em contrapartida, quando estou fazendo as fotos, mesmo que eu me afaste do trabalho e fique vendo um anime, isso não acontecerá. Em vez de acompanhar a história, acabo vendo apenas os desenhos, e minha atenção acaba se desviando para quesitos como a inspeção da qualidade da fotografia… (Risos.)

   A despeito das dificuldades que acabei de mencionar, vamos supor, por exemplo, que haja fotos da cosmoenergia característica de Seiya… Embora aquele efeito, similar a uma aura, leve bastante tempo, eu o recebo com o sentimento de que o pessoal da direção deve utilizá-lo porque também está se esforçando daquela forma.

   No caso dos animes, é comum que o nível se deteriore em 1 temporada (13 episódios), mas Seiya não apenas mantém a qualidade; o nível da série como um todo, incluindo a fotografia, está subindo, não é?

   Fazendo uma produção assim, ainda que seja difícil, nós também temos o sentimento de que não podemos pegar leve, entende?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *